18/12/2015

[FIQ2015] Resenha de Parágrafo #20: One More Time




Continuando as leituras FIQanas, mais 4 resenhinhas curtinhas de se ler.


Panza
Publicação Independente
História e Arte por: Caio Oliveira
Nota: 10 cata-ventos que parecem gigantes, mas tem gosto de troll numa escala de 10
Ideal para: Lunáticos e Aspirantes a Herói

Depois de nos brindar com a genialidade em forma de Alan Moore Mago Supremo e All New Hispter Marvel, o Dr. Caio Oliveira mostra uma divertida história sobre o primeiro sidekick da história, o fiel escudeiro do lunático Dom Quixote, Sancho Panza. Passando por diversas referências da cultura pop as vezes de forma implícita e as vezes na cara mesmo, Panza conquista o leitor por ter um protagonista simpático e medroso, e que diverte por ser um ponto de verossimilhança em meio a loucura e surrealidade. Sendo uma leitura rápida, com gostinho de quero mais, o que o autor faz em arte e texto é primoroso e mutualmente orgânico acrescentando beleza a um humor despretensioso que prende tanto adultos como crianças (falo isso pois li para minha sobrinha e ela amou). E que venha mais de Sancho e seu burrinho, amém.








Quack
Publicado por Editora Draco
História e Arte por: Kaji Pato
Nota: 22 patinhos na lagoa numa escala de patos
Ideal para: Comedores de Banana

Se eu que já tinha lido 10 páginas fiquei apaixonado com a história, imagina agora depois de ler 96. É de se apaixonar ler um quadrinho tão bem construído com a interação dos protagonistas tão boa. A sinergia do Pato Colombo, que é debochado com Baltazar, um aviador que banca o herói, dá ritmo aos quadros enquanto valorizam o diálogo fluido e natural de se ler. Eu só tenho um senão sobre esta belezura toda: me incomoda um pouco o primeiro vilão ser meio estereotipado. Provável que seja proposital, pelo tanto de analogias que a narrativa tem, porém podia ser um pouco menos over. Quack do Sr. Kaji Pato, não deve a nenhum mangá japonês e cria uma mitologia cheia de referências enquanto tece críticas sobre a sociedade em que vivemos sem perder o timing para uma piada de peido ou mau cheiro.
P.S.: Raphael Fernandes e Kaji Pato providencie uma continuação urgente pois to morrendo de curiosidade com a continuação.






Pétalas
Publicado por Jupati Books/ Tambor Quadrinhos
História e Arte por: Gustavo Borges
Cores por: Cris Peter
Nota: Uma flor
Ideal para: pessoas que só diziam “bem-me-quer” na brincadeira das flores

Difícil falar sobre algo que não tem nenhuma palavra mas tem muito a diz. Pétalas é uma tocante história muda que ressalta qualidades humanas esquecidas neste mundo cruel que vivemos, usando animais silvestres como protagonistas numa quase fabula de Esopo, mais modernizada. Gratidão, generosidade, compaixão e outras ínfimas características de aquecer o coração estão diluídas de forma sutil e agradável nas mais de 30 páginas que este pequeno quadrinho tem para nos mostrar. O roteiro proposto pelo Gustavo Borges que contem arte do mesmo, te prende empaticamente à pequena Raposinha e sua amizade com o Pássaro que pode ser facilmente transposta a diversas situações cotidianas. E as cores da Cris Peter só realçam ainda mais as emoções envolvidas em cada um dos quadros. A moral da história pode variar de acordo com a percepção, mas a combinação disso tudo que Pétalas traz é só uma: Amor.







Starmind: O Professor de Química do Mal
Publicado por Editora Draco
História por: Ryot
Arte por: Toppera-Tpr
Nota: 10 estrelas cadentes numa escala de 10

Tirando o subtítulo, quase homônimo ao de Breaking Bad da Record, Starmind da Editora Draco tem todos os elementos para que se torne uma boa animação do Cartoon Network. O Humor non sense de Kill La Kill, somados personagens fofos a lá Steven Universe com um vilão que parece saído diretamente de Adventure Time cria uma combinação visual digna de uma animação da Madhouse, mas com uma brasilidade única. A arte do Toppera-Tpr a.k.a Daniel Bretas é tão divertida quanto a história que o Ryot a.k.a Ricardo Tokumoto conta nesta mistura de tokusatsu com Denis o Pimentinha moderno. E antes que faça mais qualquer tipo de referência a esta empolgante jornada do Mente Estelar, me parem, por favor, pedindo isso para a mesma estrela cadente que milagrosamente deu poderes a ele. Grato.






Então ficamos assim. Na próxima Resenha de Parágrafo: O FIM!

Wendrick Ribeiro é estudante de publicidade, roteirista amador, trouxa barra otário, nerd old school, adorador de Deadpool e respira quando tem tempo.
Veja as Resenhas de Parágrafo anteriores clicando aqui: #ResenhaDeParágrafo!