26/11/2015

Resenha de Parágrafo #18: Manual prático de como comprar Batman & Robin (Parte 3 de 2)

Curta nossa fan page!



Olá Senhoras, Senhores e eu. Está aqui a terceira parte and final do especial do Robin que eu comecei umas trocentas semanas atrás e que não terminei por motivos de NINGUÉM LIGA. Para você que perdeu a parte dois é só tu procurar entre o primeiro post e o último usando um algoritmo imaginário contido no cartão de acesso atrás da mesa do computador perto do candelabro da Mansão Foster pra descobrir toda origem, morte e ressurreição de Robin. Hoje ficamos pros encadernados de luxo recentemente lançados pela Panini e que tem o nome da Dupla Dinâmica. Vamos lá amiguinhos!


Batman e Robin: Edição Definitiva
Publicado por: Panini Comics/ DC Comics
História por: Grant Morrison
Arte por: Muitas pessoas, mas na capa tem só o Frank Quitely que fez as capas da porra toda
Nota: 10 cascas de Banana numa escala de 10

Ideal para: Pessoas que gostam de boas histórias

O que você precisa saber para ler esta fase compilada nesta edição definitiva (que não é definitiva) é que o Bruce Wayne morreu na bosta da Crise Final (que não é crise final), Tim Drake foi procurar ele por que ele é enfadonho, Dick assumiu o manto que aliás fica meio largo nele e o Damian está sendo aquele menino maravilha como ele sempre foi. Se isso não despertou sua atenção e não desperta mesmo, vai ai 3 motivos pra ler a saga: 1- É possível entender esta HQ. Grant Morrison enfim escreveu algo inteligível para todos entenderem mesmo que todos não possam ler já que tem sangue 2- Todas as pistas para o surgimento da então Corporação Batman estão aqui, incluindo a BatVaca. 3- e última:  Tem Coringa sendo Coringa da maneira mais fodastica o possível tanto que a escala da nota desta edição tem relação com isso. Então despertou sua atenção? Tanto faz, vamos pra a próxima HQ.



Batman e Robin: O Cavaleiro das Trevas Vs. O Cavaleiro Branco
Publicado por: Panini Comics/ DC Comics
História por: Paul Cornell, Peter J. Tomasi and Juddy Winick
Arte por: Scott McDaniel, Patrick Gleason e Greg Tocchini
Nota: 3, 9 e 7 numa escala de 10 em relação aos arcos
Ideal para: Colecionador que comprou a Edição Denitiva

Vamos por partes na análise da continuação da fase Pré-Novos 52 do Grant Morrison que saiu do título para escrever Corporação Batman e nos dá a BatVaca de presente. Irregular é a melhor definição para isso. Começamos pelo primeiro Arco do Paul Cornell, que é uma bosta. Sabe quando você vai ao banheiro depois de comer AQUELA feijoada? Então, o que tu deixas no vazo não chega nem perto da história grosseira e rasa que temos no início do encadernado. Ironicamente a história que vem após dela, título da encadernação, é aquela maravilha escrita pelo Peter J. Tomasi tendo tudo que uma boa narrativa tem de ter. Como este cara trabalha bem o Batman e o Robin. Por fim tem uma conclusão desnecessária do que rola com o Capuz Vermelho na última edição, escrita pelo Winnick que é boa até, se tu é fã do Jason Todd. Porém eu te pergunto amigos: Quem em sã consciência é fã do Jason Todd? Durmam com isso!


Batman e Robin: Nascido para Matar
Publicado por: Panini Comics/ DC Comics
História por: Peter J. Tomasi
Boa parte da Arte por: Patrick Gleason
Nota: 10 numa escala de 10
Ideal para: Eu, Eu Mesmo e Irene

Lacrando está fileira, Peter J.Tomasi  e Patrick Gleason fazem neste álbum a principal função do Batman na era atual: Usa-lo pra contar boas histórias. É indiscutível a qualidade de roteiro e artes desta fase, até pra quem não gosta do Damian (e por favor parem de pôr a culpa nele para seu conservadorismos que só acredita que Dick Grayson é o único). O que eles fazem ao colocar Pai e Filho juntos patrulhando é dar um protagonismo singular ao Robin tirando apenas do papel de sidekick. O lance aqui é outro. O Lance aqui é mostra uma dualidade necessária para compreender pontos de vista e ver que todos eles estão errados e certos dependendo do seu senso. Bem diferente de ter um exclusivo ponto de vista, o que vemos aqui é um evolutivo legal tanto pra Pai que não saber ser Pai e para o filho que não saber ser filho. Outra maravilha deste encadernado é o que o Damian faz com o Jason, além desta imagem abaixo que amigos é ouro que vale mais do que dinheiro. 


Então fechamos? Acabou né? Podemos ir beber né? Certo, semana que vem tem FIQ, ou melhor tem HQ’s que comprei no FIQ. Enquanto isso não rola fiquem olhando a imagem do Luan de Robin até a semana que vem, blz .
P.S.: Não tira o olho da tela.




Wendrick Ribeiro é estudante de publicidade, roteirista amador, trouxa barra otário, nerd old school, adorador de Deadpool e respira quando tem tempo.
Veja as Resenhas de Parágrafo anteriores clicando aqui: #ResenhaDeParágrafo!