Resenha de Parágrafo #17: Dia de Robin, Bebê (Parte1 de 2)

Curta nossa fan page!




Começa hoje o especial de duas partes sobre meu herói favorito da DC que você deve saber se leu bem o título. Não importa se é o Richard Grayson, Timothy Drake, Carrie Kelly, Sthepanie Brow, Damian Wayne e até o Jason Todd. Hoje é dia de homenagear esta identidade colorida e passarinhesca. Esta semana falaremos dos títulos atuais da DC que tem Robin. Que comecem o tananananam:


Batman & Robin Eternal #1
Publicado por DC Comics
Nota: 8 bat-ranges numa escala de 10
História por: Scott Snyder & James Tynion IV
Arte por: Tony S. Daniel & Sandu Florea
Cores por: Tomeu Morey
Ideal para: Fãs do Robin

Ficando um pouco na sombra, mas se distanciando muito do que foi “Batman Eternal”, a nova HQ semanal da dupla dinâmica conduzida por Scott Snyder e companhia limitada, é um ótimo primeiro capitulo de um novelão. Focado no primeiro Robin, Dick Grayson (que está incrível sendo o agente37 da Spiral), e permeando memórias do Batman, que aqui funciona com um protagonista de luxo, a trama se desenvolve na sua relação com outros ex-Robin Tim (aquele dos Titã e que não pegou ninguém até aqui) e Jason (a.k.a Capuz Vermelho, A.k.a morreu com pé-de-cabra) e como os membros mais jovens da Bat-família estão sendo caçados por um fissurado em matar aves. Com arte e cores eficazes, a parte mais interessante da edição é ver em flashback uma aventura do Dick como Garoto Prodígio, algo que foi pouco contado na mitologia dos Novos 52. Batman&Robin Eternal.


We Are Robin #2
Publicado por DC Comics
Nota: 7 Pows numa escala de 10
História por : Lee Bermejo
Arte por: Rob Haynes, Jorge Corona & Khary Randolph
Cores por: Trish Mulvihill e Emilio Lopez
Ideal para: Adolescentes Revoltados

Amiguinhos, quero ser personagem desta revista! A ideia da gangue anárquica de Robins fica cada vez melhor nesta edição. Aqui, conhecemos “direito” os membros da Equipe e nos simpatizamos ainda mais com Duke, que é adolescente em conflito, ferrado, mas sem uma gota de alto-piedade. O Moleque encara o problema de frente. Gosto disso! A revista mostra a que veio nesta edição que continua com bons diálogos, e dá tempo para todo mundo aparecer nesta arte maravilhosa que temos. De novo o único pesar que tenho com está HQ é o pé-de-cabra. Não é o Jason Todd de novo, mas sim que nas próximas edições tudo fique uma merda e a DC use então desta arma para cancelar um dos meus títulos favoritos do DCYou. E torcendo para que isso não role vai um possível spoiler para quem vá ler a edição: Tenho certeza que o Ninho é o Bruce Wayne!

Leia também: Resenha De Parágrafo de We Are Robin #1


Robin: Son of Batman #2
Publicado por DC Comics
Nota: 9  Morcegos-Humanos numa escala de 10
História por Patrick Gleason
Arte por: Patrick Gleason
Cores por: John Kalisz & Jeromy Cox
Ideal para: Mim

Mais uma edição fantástica do meu filho, digo do Damian trilhando um caminho próprio em busca de redenção e de se tornar um garoto prodígio melhor. Nosso pequeno Robin, trilha uma viagem semelhante ao do pai em busca de aperfeiçoamento de sua habilidade para fazer algo certo, aquilo a que ele está destinado como Wayne e não como Al Ghul. É interessante ver como isso se desenvolve de forma orgânica e muito natural na HQ. Este Damian, que erra, tropeça, acerta e aprende me lembra muito a fase do Batman e Robin conduzida pelo Grant Morrison, que tinha Dick numa relação de bom irmão mais velho e que evoluía junto com o inexperiente Cavaleiro das Trevas em questão. Goliah no quadrinho funciona como este parceiro que mesmo não entendendo as convicções do protagonista dá o apoio necessário para desenvolve-lo. E antes que eu me esqueça: Senhores Xiitas do Cânone sabe aquele ditado que diz que “foda é meu pai, eu sou fodinha” , então, aceitem, ele se aplica ao filho da Tália.

E ficamos assim, mas antes tenho que agradecer ao Kaiky Coutinho pela arte de Robin, que ilustra este post, feita para o Inktober e ao José Amorim por ter dado cores a ela. Muito obrigado. Então até semana que vem nesta mesma Bat-hora e neste mesmo Bat-canal!



PS: Participe da pesquisa de público da Quadrinhosfera: https://goo.gl/2JnoMB


Wendrick Ribeiro é estudante de publicidade, roteirista amador, trouxa barra otário, nerd old school, adorador de Deadpool e respira quando tem tempo.
Veja as Resenhas de Parágrafo anteriores clicando aqui: #ResenhaDeParágrafo!

Postagens mais visitadas